Meu primeiro livro virtual

quarta-feira, 7 de julho de 2010

UM LUGAR ESPECIAL



>

UM LUGAR ESPECIAL


Todas as vezes que o litlle Joe quer impressionar uma linda jovem ele a leva até à margem de um grande lago, de onde se descortina uma visão encantadora. Se amar é bom e lindo, ali há a potencialização do prazer.
Quando a lindinha se embasbaca com o espetáculo, o desg...quer dizer, o jovem vaqueiro alia um sorriso número 38 com um olhar 55 e dá o retoque final no seu empreendimento de sedução. Pena que quase sempre, no final do capítulo, a coitadinha morre ou sai de cena. Acho que o produtor ou o diretor do filme tem uma queda pelo artista e...quem usa, cuida.
Aqui um parêntese para um fato e uma pergunta. O fato: Ponderosa é uma imensidão de cactus e pedra. Como aquele povo ficou milionário com gado? São quatro e mais um cozinheiro chinês. Chaparral ainda tem muitos empregados, se vê algumas vacas que adoram comer galho seco e pedra; isso, sem falar no Cochise e sua corja enchendo o...a paciência.
Acho que fazendeiro brasileiro gosta mesmo é de chorar de barriga cheia.
Um lugar especial para viver...
Aqui temos um.
Não viveria melhor à beira mar, desfrutando as visões paradisíacas das chapadas ou os encantos das quedas de água, como as de Iguassu ou Iguaçu, como preferir.
Não há beleza em nenhum canto se na alma não mora o encanto. ( se você conhece quem tenha dito esta frase, ponha aspas.Eu não ponho.)
Outro dia, levei uma dama para ver a luz da lua incidindo no filete de água do nosso riozinho Machado de Mello. Cercava-nos o silêncio da madrugada. Vislumbrávamos pequenas flores dando sinal de vida com a iminente presença do sol. Fiz como litlle Joe, armei meu sorriso 38 mas não deu tempo de armar o olhar:
- Vamos embora...
Ela não se sentiu amada, diriam uns. Tenha paciência, outros.
Mas em mim não aconteceu uma profunda dor ou estado de torpor, não fiquei cheio de frustrações e dúvidas, como acontece nas grandes tragédias, nada de crise exsistencial.
Pensei: não dá com Maria, procuremos Sofia.

Só que não é bem assim. Não se leva a vida dando de ombros. Assim como existem estradas que se bifurcam, temos a que convergem.
Procurarei então o ponto de convergência no meu caminho e lá, por certo, encontrarei alguém que, na pior das hipóteses, queira, porque gosta, ver o “ Machadinho” nas noites de lua.
Assim: beber um chope no Bola ou comer um cupim casqueirado na Chopompeu e na madrugada, ver o riozinho e o sol nascer...seria um belo começo para uma segura indução a um fim sabido e desejado.
Como diz uma letra do Roberto: Se o amor está, tudo faz sentido, tudo é permitido, tudo fica em paz “.
Mas é preciso que tenhamos sensibilidade para ver encanto em qualquer canto, senão, ainda lembrando o Rei: “ quando o amor não está, sob a luz da lua, as pequenas ruas, já não são iguais”


Hamilton Brito, membro do grupo experimental da academia araçatubense de letras.

2 comentários:

Lucélia disse...

Estava com saudade de passar pelo seu blog, que por sinal, continua muito gostoso de ler.
Beijão

http://lucelia.zani.zip.net

Rita Lavoyer disse...

Amigo José Amigo!
Descobri o que significa realmente um lugar especial.
Sabe que aqui, onde você sabe que estou, é de fato um lugar muito belo.
Do mais, há muitas lembrança que podemos adquirir e levar para os amigos. Mas lembramos, meu marido e eu, especialmente de você. Lugar especial amigo, é qualquer um, quando levamos juntos os nossos amores: família-esposo e filhos- e bons amigos na lembrança.
Você veio na mala, bicho!