Meu primeiro livro virtual

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

O amanhã começa agora

.

-Bom dia, coisa ruim.

_ Vá pro diabo.

-Você tem visita.

_Não quero ver ninguém. Nem hoje, nem nunca.

-Problema seu. Mas a moça disse que é sua filha.

Rapidamente voltou para os seus vinte e dois anos de vida.

Colégio São Domingos Sávio, turma que se formava para o magistério primário. Como foi indicada para ser a oradora  procurou ajuda em Fernando, um aluno brilhante do curso noturno.

Dois ou três encontros, o discurso ficou uma beleza; no baile de gala da formatura, não saiu um minuto dos braços do amigo.

Mas , acabadas as festividades, veio a hora e encarar a vida. Início de carreira , foi  dar aulas no meio rural. Voltava à casa dos pais a cada 15 dias não só pela distância mas,  também para economizar algum dinheiro. Queria melhorar a casa paterna e comprar um carro. Estes eram os objetivos mais prioritários.

Ficou muitos anos sem ver Fernando. Mas lembrava-se dele com carinho. Nunca contou para ninguém mas, naquela noite após o baile, ela foi para a casa dele e passou noite. Entregou-se para o que seria o primeiro homem da sua vida. Amou-o, a principio, com recato, com limites mas, à medida que os carinhos dele intensificavam-se ele ia aumentando os pedidos; um Kama Sutra teria sido pouco para relatar o que fizeram.

Se naquela noite fez de tudo com um homem;  há muito tempo não fazia nada com homem algum.

Prestava os concursos para efetivar-se mas , ora não pegava classificação e quando pegava, anulavam-nos por irregularidades constatadas.

Oito anos deu aulas na roça. Quando começou a gostar da coisa , pois havia atrativos no meio rural, passou no concurso e assumiu uma classe em uma cidade satélite à sua.

Um ano e meio depois , ao entrar em uma livraria, algum colocou a mão no seu ombro:

_ Olá!

_Fernando.?!

A principio não levou o reencontro a sério. Uma coisa estranha, algo no sorriso dele, no jeito de olhar. Não sabia explicar, mas houve uma inexplicável rejeição. Todavia, a beleza madura que ele mostrava, o assédio e as promessas de amor eterno foram solapando a sua resistência e as noites de amor intenso e louco foram tornando-se mais frequentes.

Apresentou o amigo-namorado-amante à família e não achou estranho quando o pai lhe disse:

_ Filha, algo neste seu amigo não me agrada. Ele fala com a gente mas, não encara. Foge dos nossos olhos.

Q desejo dela de terminar a relação foi pressentido por Fernando que tratou logo de estabelecer um elo forte com ela e o fez através de um filho.

Mas tiveram uma filha.

Ela percebeu que um carro escuro costumava passar lentamente pela sua casa. Às vezes estacionava, ficava horas. Falou com Fernando e ele disse que não era nada, impressão dela.

Um dia, Fernando sumiu. Telefonou dizendo que ela deveria sair daquela casa o mais rápido possível e deveria viajar sem o carro. Ir de ônibus.

Mesmo sem entender nada, foi para a casa do pai, mas foi com o seu carro. No caminho foi interceptada e colocada sob a custódia do estado. No veículo foram encontrados vários quilos de cocaína, dentro dos pneus, nos bancos, no teto . Pior, foi encontrada uma arma e esta fora usada para matar um policial. Tinha as impressões digitais de Fernando.

Como cúmplice foi julgada e a pena máxima lhe foi aplicada. Mas o pai de sua filha sumiu e nunca foi encontrado.

Foi tomada de um sentimento mortal de ódio por homens. Na cadeia, quando assistida por um, dava-lhe o maior trabalho, com ofensas,, ataques físicos. Na sua cabeça, alimentava o sentimento de vingança. Um dia se vingaria , se não em Fernando e um outro homem qualquer.

Nunca mais viu a filha. O seu pai morreu; a mãe doente sempre cuidou da menina , providenciou os estudos e tudo o mais....Mas nunca levou a neta para ver a mãe.

Dezenove anos se passaram.

-Então coisa ruim. Mando a moça embora ou você vai recebê-la?

Medo, desejo de ver a filha, vergonha de ver a filha....filha, filha., filha...


De repente viu-se repetindo indefinidamente : filha...

-Vou receber minha filha, por favor, tragam-na até mim.

_Vou recomeçar a viver, esquecer todos os maus sentimentos; esta visita da minha menina marcará minha mudança e se é verdade que o amanha é a soma de todos os “agoras” , este será o primeiro de muitos que formarão um mundo maravilhoso para nos duas.

Hamilton Brito, membro do grupo experimental da academia araçatubense de letras-ciadosblogueiros.blogspot.com











Um comentário:

ALAOR TRISTANTE JÚNIOR disse...

Caro Zé Mirto, seu conto tem cara de autoajuda, você é muito pessimista querendo se curar, na verdade o Fernando fugiu para a Suécia, foi tema de uma música do ABBA, a professorinha foi inocentada porque comprovou-se que a cocaína era talco Bells, voltou a lecionar na roça, conheceu Sassá Mutema, casou-se com o Lima Duarte, que, piedoso que sempre foi, criou a filha do Fernando como se fosse sua. Essa mãozinha da foto acima é apenas a mãozinha da Família Adans. Vai meu abraço de seu sempre Alaor Tristante Júnior.