Meu primeiro livro virtual

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Quem sou eu que o espelho nao mostra



Ao som de Straus, fiz uma viagem para dentro do meu eu para responder quem sou , que o espelho não revela.

Tema aparentemente fácil....só aparentemente.

Quem sou eu....os filósofos vêm há muito tentando responder à pergunta.

To be or not....

Quem eu sou ou não sou, o que o espelho mostra?

Mostra as minhas rugas e os meus cabelos grisalhos pressupondo uma vida muito difícil...fácil não foi, mas não tenho do que me queixar.

Geralmente o brilho dos olhos revela uma história; assim, com ele me preocupo não me permitindo jamais me fazer de vítima ou viver maldizendo Deus e o mundo.

Então o que o espelho não mostra e jamais mostrará são as amarguras pelas quais passei. Elas sempre teimaram em marcar meu rosto, mas nunca o permiti.

Sem que fosse acomodado ou conformado, posto que lutei com todas as minhas forças e recursos disponíveis, eu nunca chorei pelos sonhos não realizados.

Seria uma afronta a Deus ou a humanidade dizer que o espelho mostra realmente quem eu fui e quem eu sou?

Ego sun – eu sou e sou realmente o que sou.

Nas questões emocionais, que poderiam deixar marcas para o espelho mostrar, não as tenho, pois aprendi com o meu pai que se um anseio, um sonho não se realizou, substitua-o imediatamente para que não crie raízes na alma e marcas no rosto.

Se as frustrações emocionais não me marcaram, as materiais é que não conseguiriam fazê-lo.

Eu nunca chorei pelo carro novo não comprado ou pela casa sem piscina ou ainda pela viagem à Miami não feita. Tipo de coisas que deixam marcas em muitos...em mim o espelho se frustrou ao procurá-las.

Sabe, tenho orgulho do que vejo. Eu não posso usar máscara para mim mesmo.

No sarcófago verão uma face sorridente, até porque, coisa mais esquisita é defunto com cara de tonto.

Quando o espelho não mostra, nada revela é porque o ruim, o amargo ficou impregnado na alma....se você permitiu.

O que o espelho possa não mostrar, é o sujeito temente a Deus, agradecido, que não se cansa de dizer:

_Senhor, tenho tanto a agradecer e tão pouco a pedir

O espelho reflete uma imagem, mas quem faz a leitura dela sou eu...e eu me basto.

Hamilton Brito – trabalho de sala de aula - escrevivência

3 comentários:

Cecilia Ferreira disse...

Você reflete esse espelho feliz e grato! Abraço pela transparência e honestidade!

PIMENTA E POESIA (Maria Tereza) disse...

Não posso comentar o conteúdo porque ele é muito mais profundo e difuso para se deixar conter dentro de uma resposta objetiva. Nem a filosofia, nem a Arte dão conta disso. Mas a forma posso comentar e só posso dizer que você está cada vez melhor. E a pergunta que não quer calar: quando é que vai sair seu livro solo? Contos, crônicas e poemas??? (Só há uma mentirinha no texto...mas isso vc vai ter que descobrir!).rsrsrsrs

Cidadão Araçatuba disse...

Grande Zé!
O espelho mostra as marcas do passado, os anseios para um futuro impregnado de coisas que teimam em voltar ora nos martirizando, ora deixando felizes.
Só no íntimo podemos realmente dizer quem somos, o espelho nunca me disse nada, pois nunca me preocupei com ele, já minha consciência...
Camarada essa pega pesado! Rs...
Parabéns pelo texto!
Abraço.