Meu primeiro livro virtual

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

PREST' ENÇÃO !


Prest’enção.


Eu trabalhei na indústria farmacêutica por muito tempo, mais precisamente como propagandista vendedor de laboratório. É uma profissão na qual o empregador dá todo o suporte técnico para o seu bom desempenho. Assim, aprendi muita coisa e agora reparto um pouquinho . Por exemplo: devemos estar sempre atentos para ver um talento e isso serve em todos os momentos da nossa vida. Certas pessoas "aparecem" sem o menor esforço, radiam uma aura de criatividade, de competência e desempenham atividades, de uma maneira que chega a provocar inveja. Tendo sensibilidade para identificar essas pessoas, pode-se aprender muito com elas. Geralmente, elas se identificam fácil com o que fazem. São enfáticas, dão vida aos seus atos e palavras ; em função disso, são convincentes. Elas acreditam em si mesmas.Mas não são afetadas, usam argumentos comuns, temperados com convicção, sendo essa a característica de pessoa que se identifica com o que faz. Outra coisa que aprendi , foi a usar técnica de comunicação para vender “ o meu peixe”. Assim, fiquei sabendo que nunca devemos começar um diálogo de venda, com uma sondagem fechada. Exemplo: O senhor gosta de televisão Philco? Duas respostas cabem ai: sim ou não. Se for sim, dá jogo.Se for não, vai dar trabalho. Então, melhor será usar uma sondagem aberta, tipo: fale-me sobre suas preferências a respeito de um aparelho de televisão. O interlocutor vai se abrir, vai falar uma série de coisas e o que for de proveito para realizar a venda, é usado.Usa-se sondagem aberta ou fechada durante um processo de convencimento para encaminhar o interlocutor para um ponto onde o fechamento da questão possa ser feito, segundo o interesse que se almeja. A questão da minimização e maximização. Se um fato lhe é desvantajoso, minimize a sua importância. Se ele lhe traz vantagem, maximize-o. Assim, um determinado produto “igual “ ao seu, é mais barato para o consumidor.Olha, não há para um bom vendedor, produto “igual” ao dele. Sempre haverá um detalhe ao qual se apegar. Ai, esse detalhe será maximizado para minimizar a vantagem “ preço” do concorrente. Daí, a necessidade de se fazer sempre a chamada venda comparativa, ou seja, um bom vendedor conhece muitíssimo bem o seu produto e muitíssimo bem o produto concorrente. Então, é preciso estudar muito e por precisar estudar muito é que fica provado, ao contrário do que muita gente pensa, que venda é ciência e não arte.O dito que o vendedor já nasce pronto é balela.Venda é ciência porque tem um objeto de estudo, tem técnicas e processos para aprendê-la. Bem, se eu ganhar alguma grana com essa aula, dou outra qualquer dia.

José Hamilton Brito, grupo experimental da Academia Araçatubense de Letras.

2 comentários:

♀Riot Vicious♀ disse...

Oii, meu anjo!! Muito obrigada pelos elogios, viu?
Fiquei muito lisongeada e feliz por ter gostado do meu cantinho aqui!!! :-)
Você é um amor!! :-)
Adoro você!! :-)

Bem legal seu texto!! :-)
Realmente, venda é ciência e das complicadas!! hehehe...
Não me dou nada bem com ela! rsrs...
Como sempre,seu blog está um arraso!! Parabéns!!! :-)

Comenta lá no meu de novo, acabei de atualizá-lo!! :-)

Mil beijos e tudo de bom, meu querido!!!
Muito sucesso!! :-)

Rita Lavoyer disse...

Tô prestanu!