Meu primeiro livro virtual

segunda-feira, 7 de julho de 2008

LIVRE ARBÍTRIO




Vem,vamos sair por ai
Hoje é domingo, o céu está de brigadeiro
Ir pela floresta até o rio...
Ver o que a natureza nos ensina.
Ficaremos quietos e imersos em contemplação.
Voçê verá os peixinhos nas águas limpas
Nos galhos, talvez um pica-pau
E nas flores, suspenso no ar, um bonito colibri.
Veja lá no pé daquela aroeira, um tatu-galinha
Uma árvore de gabiroba, uma maria-preta...
Tudo, para dar suporte à vida.
Concentre-se e sentirás a presença Dele.
Não é possível que tanta beleza tenha nascido do caos.
Tudo obedece a um projeto muito bem elaborado.
Até a morte é importante no processo da vida.
E a sobrevivência na natureza se faz sem ofensas e ódio.
Por isso se que diz que tudo acontece naturalmente
É...na natureza as coisas são assim.
E nós, como nos encaixamos neste esquema?
Na natureza, não existe insensatez...nossa maior característica.
Nela, tudo acontece como Deus fez.
Mas questiono: Ele não foi também nosso arquiteto?
E por quê então...
Será porque nos legou o livre arbítrio?
Algo que foi dado aos humanos para facilitar suas escolhas
Um meio para que selecionassem suas ações pela reflexão?
Então o livre arbítrio foi presente de grego?
E com ele nos tornamos os verdadeiros animais?
Sabe querida, no que somos diferentes? Na ambição...
Por causa dela nos esquecemos da nossa finalidade maior
Amar ao próximo como a nós mesmos.
Na natureza existe sentimento, existe amor?
Lá existe o natural e o natural é Deus.
E nós nos afastamos do natural...
Como diria Descartes: logo...
E ele não estando em nossas relações, voltamos ao caos
De onde, dizem, viemos




Um comentário:

Polêmica disse...

eu acho que o livre arbítrio é isso mesmo, é a gente escolher entre o bem e o mal, o certo e o errado, não é presente de grego...Se o homem se sentisse obrigado à fazer tudo o que Deus manda, ele não ía gostar desse Deus, por isso Deus nos dá a liberdade de fazermos o que quisermos...mas, se optarmos pelas coisas erradas sofreremos as conseqüências pelas mãos dos outros homens, não pelas mãos de Deus!
Até mais!